quinta-feira, junho 17

Análise – Tate no Yuusha no Nariagari – Episódio 14 – Lembrança Eterna

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

O que estão achando dos novos animes da temporada de Primavera? Já vi alguns que gostaria de trazer analises para vocês, vamos ver se achamos tempo para isso haha. Por enquanto vamos a análise de Tate no Yuusha episódio 14.

Conspiração, parte II

Devo admitir que Tate no Yuusha voltou com tudo para o seu segundo arco. De fato podemos perceber que o ponto forte desse anime, além dos mistérios, são os sentimentos que despertam no espectador.

Começamos o episódio de onde havíamos parado. Logo após o embate entre Malty e o nosso protagonista, ela ateia fogo na floresta , como uma tentativa de encurralar ainda mais o Herói do Escudo. Entretanto, Naofumi se vê sem saída e resolve finalmente ir de encontro a Rainha de Melromarc.

A eterna vilã.

Espero que finalmente tenhamos algumas perguntas respondidas após esse encontro. É uma pena que para isso tenhamos que adiar a aventura para outro país. Todavia, como teremos uma temporada de 25 episódios e uma segunda temporada quase certa, a história não tem medo nenhuma de tomar seu próprio tempo. Espero que toda essa expectativa não seja quebrada no final.

Van Reichnott

Uma das forças de Tate no Yuusha é a forma com que desenvolve alguns personagens, mas é uma pena que isso aconteça somente com os principais. Temos um episódio focado na exploração de uma personagem, Raphtalia. Além de sermos apresentados a um novo: Van Reichnott.

Para dizer a verdade eu adoro esses episódios que são focados no desenvolvimento de personagens, isso ajuda a criar uma tensão nos momentos decisivos. E acaba por não deixar o relacionamento entre eles tão superficial.

Novos personagens!

Noafumi e sua party acaba nos terrenos de Van Reichnott, um nobre conhecido de Melty. Apesar de que esse é a única informação que temos dele. Por ter um design caracterizado acredito que Reichnott venha a ter mais participações no futuro.

Naofumi é convidado a se esconder na casa desse Lord, que os recebe de braços abertos. Entretanto, Reichnott explica que Malty havia espalhado a noticia que o Herói do Escudo havia ateado fogo na floresta para encobrir seus rastros.

Nosso protagonista ainda mantém essa casca de durão para se proteger. É legal vermos que isso não mudou até agora. Até mesmo com Melty, que só começou a se abrir com ela não faz muito tempo.

O dever de Melty e o passado de Raphtalia

Nossos protagonistas são convidados a passar a noite na mansão de Reichnott. Vemos que Naofumi ainda traz essa postura ao extremos de cautela, exitando em comer e dormir. Acho legal essa postura dele não se alterar mesmo depois de tanto tempo. Afinal agora ele precisa proteger não somente ele, mas também sua equipe.

Temos uma perceptível mudança de personalidade em Melty, que começou a ficar mais parecida como uma criança de fato. Ela fica mais dependente de Naofumi, mas se decepciona por perceber que ele ainda não confia nela totalmente. Melty se ressente por sua falta de força e percebe que, como a princesa herdeira, deveria estar fazendo alguma coisa quanto a essa situação. Acho que no futuro ela será uma importante aliada de Naofumi, seja em batalha ou em suas relações com o Reino.

No meio da noite Naofumi percebe que Raphtalia ainda está sofrendo com os pesadelos noturnos. Creio que isso voltou a ocorrer devido as lembranças do passado que voltaram. No inicio do episódio ficamos sabendo que existia um grupo de Lords que eram a favor de demi-humanos e o líder deles morreu durante a primeira “onda”. O vilarejo em que Raphtalia morava, Seyaette, foi atacado por soldados de Melromarc, o que resultou no aprisionamento de Raphtalia.

Traumas passados.

O lord de Seyaette era o líder desse movimento de conciliação entre humanos e demi-humanos e dono dessa região. Raphtalia sofreu esse trauma, porque não estava acostumada com a violência dos humanos e somado a morte de seus pais é compreensível esse abalo que ela sofre.

Idol Rabier

Na manhã seguinte somos surpreendidos pelos guardas reais, que ficaram sabendo da localização do Herói por conta de outro nobre: Idol Rabier. Melty se sacrifica para que Naofumi e seu grupo não sejam descobertos, mas ela e Van Reichnott são obrigados a seguir esse lord.

Esse foi um episódio bastante interessante, pois foi o primeiro a explorar essa “sociedade” de Lords do Reino de Melromarc. Não só apresentando dois deles, mas também mostrando o sistema dela. Temos lords que eram a favor de demi-humanos e outros que os escravizaram. Ao que tudo indica Idol Rabier foi o primeiro mestre de Raphtalia ou pelo menos foi o responsável por torna-la escrava.

Idol Rabier.

Naofumi então decide resgatar Melty!

A fúria da demi-humana

Van Reichnott e Melty são ambos presos na mansão de Idol, e temos uma cena de tortura contra Reichnott. O mundo de Tate no Yuusha é bem representativo do nosso, onde existem pessoas boas e más. Entretanto, é o mesmo mundo que estraçalhou um Naofumi ingênuo e criou essa casca impenetrável dele. É bem legal perceber esse paralelo com a realidade, onde não podemos baixar aguarda, mesmo sabendo que ainda existem pessoas boas no mundo.

Um nobre aliado?

Naofumi e sua party invadem a mansão de Idol em busca de Melty. A evolução dos protagonistas é bem notável nesse ponto. Eles conseguem passar com facilidade por todos os guardas e chegam rapidamente ao local que Melty era mantida refém.

Durante toda a invasão vemos flashbacks de Raphtalia, que já conhecia a mansão de Idol. Nesse episódio não nos é revelado a relação entre ela e esse Lord do mal. Todavia, ao que tudo indica, ele foi a primeira pessoa a fazer mal diretamente a ela. Quero saber se vamos ter alguma resposta no próximo episódio e qual será a reação de Naofumi ao descobri-lo.

No final do episódio temos um embate entre Raphtalia e Idol que acaba com a demi-humana com a espada na garganta dele.

Tá pistola!

Finalmente vamos ver a demi-humana em fúria? Qual será o ressentimento dela contra Idol?

8.0 Bom

Tivemos mais um episódio que focou muito em desenvolvimento de história e nas tramas politicas do reino. Apesar das cenas de ação escassas o anime ainda consegue entregar tramas interessantes que conseguem prender a audiência.

  • 8
  • Nota dos usuários (2 Votes) 8.8
Compartilhe:

Sobre o autor

22 anos, formado em Propaganda e Marketing. Assistente de Conta em uma Agência de Publicidade. São Paulo - SP. Apreciador da cultura nipônica, além dos animes e mangás tenho vários hobbies como fotografia, escrever e games. PLUS ULTRA!

Deixar uma resposta