quinta-feira, junho 17

Análise – Tate no Yuusha no Nariagari – Episódio 12 – Escuridão Invasora

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Estamos chegando ao fim da temporada de inverno e ainda teremos um pouco mais do Herói do Escudo! Vamos para a análise do episódio 12 de Tate no Yuusha.

Glass

Começamos o episódio 12 diretamente de onde fomos deixados. Glass, a nova vilã, se apresenta como inimiga de Naofumi e damos inicio a luta final dessa “onda”.

O interessante é que Glass só considera Naofumi como herói e despreza os outros três. Pelo nível de força dela e por ver o poder dos outros, ela acaba tratando eles apenas como servos. A nova vilã acaba quase que instantaneamente com os outros Heróis. Fica bem claro o nível de diferença em comparação com Naofumi e é perceptível que eles apenas evoluíram seus poderes de forma trivial. Diferente do nosso protagonista, que mesmo tendo um nível menor, desenvolveu suas habilidades de forma notável.

Ninguém aguenta mais vocês!!

Temos algumas perguntas respondidas. Naofumi ativa novamente o Escudo da Fúria, para tentar acabar com a nova inimiga, e junto ativa o poder do dragão. Fica claro que toda vez que ativar esse poder, tanto ele quanto Filo irão reagir com a força do Dragão. Naofumi invoca também a Iron Maiden, porém não consegue causar nenhum dano em Glass.

Esse episódio foi o que acabou respondendo muitas das dúvidas que foram levantadas, mas também acabou gerando muitas outras.

O limite da Onda

Diante desse poder avassalador de Glass e absolutamente nada funcionando contra ela, temos uma reviravolta. Naofumi percebe que um contator surge em sua tela e a inimiga ficar afobada. Imediatamente ele bola um plano de fuga e o coloca em ação.

Terminamos essa “onda” com Naofumi fugindo do campo de batalha e Glass não conseguindo atingir ele com nenhum de seus golpes. Não é por nada que ele é o Herói do Escudo! A vilã é obrigada a se retirar do campo de batalha, pois aparentemente as “ondas” possuem um timer. E, simples assim, temos a conclusão da “onda”, surpreendentemente fácil, né?

F#de# de vez!

Para muitos essa batalha ter uma conclusão muito fácil pode ser insatisfatório, mas sinceramente nunca vi Tate no Yuusha como um anime de batalhas. O que me prende são, de longe, os mistérios que nos são apresentados. Não tivemos uma grande animação, mas também considero que, especificamente nesse episódio, o foco não foi a luta contra a Glass.

E agora, de novo, os novos mistérios que somos apresentados. Por que cada “onda” possui um timer? O objetivo não era destruir esse mundo com isso? O que seria a Glass? A vilã final ou apenas parte de um grupo? Pois ela da o entendimento que faz parte de um movimento muito maior durante a batalha. O que, surpreendentemente, percebi nesse episódio foi que, tanto nós quanto o próprio protagonista possui essas dúvidas dentro da cabeça. Aliás está tão perdido quanto quem está de fora.

Após a batalha

Assim que acaba a “onda”, vemos um Naofumi muito preocupado com o futuro e chega a conclusão que para conseguir ficar mais forte, precisaria upar a classe. Já temos um gancho para a próxima aventura!

Ele é convocado à ir ao castelo reportar sua vitória ao Rei e acaba indo após muita insistência de sua party.

Pensamos que finalmente o Rei iria reconhecer a força de Naofumi e o quanto ele ajudou o reino. Porém, mesmo vendo seus feitos, ainda o trata como inferior. Ele imediatem solicita à ele que revele como conseguiu tanto poder, afinal essas não eram habilidades tipicas do Herói do Escudo.

Naofumi, nesse ponto, já tem uma noção que é mais forte que os outros Heróis e provavelmente que qualquer um ali. Pela primeira vez ele enfrenta o Rei diretamente! Naofumi exige que o Rei se ajoelhe diante dele para receber essas informações, algo que não iria acontecer, obviamente.

Bixo tá brabo

Esse embate entre os dois é perfeito, principalmente para o desenvolvimento de Naofumi, pois é a primeira vez que ele consegue enfrente o Rei de frente. E mesmo o monarca tentando revidar, ameaçando suas companheiras, Naofumi consegue se manter firme.

A família Real

Após Naofumi se retirar do castelo Melty entra em cena. Descobrimos finalmente que de fato a Rainha possui maior autoridade que o Rei, porém ainda não sabemos o porque dela estar afastada dos deveres. Inclusive fica claro que o Rei possui maior domínio que as princesas, mas ele se demonstra muito submisso à elas.

Melty exige a reconciliação de seu Pai com o Herói do Escudo, porém com a intervenção de Malty, essa negociação não da muito certo. Aliás gostaria que a relação entre essa família fosse melhor explorada no futuro. Por que mesmo sendo mais nova Melty que possui o direito a sucessão? Por que a Rainha esta afastada?

Família reunida

Vemos uma mulher misteriosa conversando com Naofumi antes dele deixar o castelo e imediatamente se reportar a Melty. Fica mais uma questão no ar. Quem é ela e está a mando de quem?

A próxima aventura…

Voltamos à Naofumi, já na loja de Elhart e se preparando para deixar o País em busca da evolução de Classe de suas companheiras. E parece que vamos à Shieldfreeden, aparentemente um país de demi-humanos, mas que aceitam humanos normais.

Vamos à Shieldfreeden!

Ao que parece temos outro país com supremacia demi-humana, porém que não recebe tão bem humanos. Ao que da a entender, por ser o Herói do Escudo, talvez não haveria problemas, mas creio que essa seja uma aventura para uma próxima.

Ao final desse episódio somos deixados com mais um gancho. No meio da viagem Naofumi e sua party são interrompidos por uma comitiva real. Melty persegue o Herói do Escudo em sua viagem na busca de uma reconciliação entre ele e seu pai.

No meio das negociações um dos guardas que acompanha Melty parte para atacar ela e é impedido por Naofumi. Devo admitir que achei esse ataque muito aleatório. Quem ordenou esse ataque não sabia que Naofumi estaria junto? Seria algum plano para incriminar Naofumi de matar Melty?

Por que atacar Melty?

Acho que teremos algumas respostas no próximo episódio e seria bem legal se essa ida à outro País não fosse interrompido por esse ataque. Quero muito ver as diversas culturas desse mundo, aliás o melhor de Tate no Yuusha é esse clima RPG!

9.0 Ótimo

Depois de muitos episódios de transição finalmente tivemos um que realmente me satisfez. Acredito que foi o episódio que mais respondeu questões levantadas anteriormente, mas ainda assim conseguiu criar muitas outras.

  • 9
  • Nota dos usuários (0 Votes) 0
Compartilhe:

Sobre o autor

22 anos, formado em Propaganda e Marketing. Assistente de Conta em uma Agência de Publicidade. São Paulo - SP. Apreciador da cultura nipônica, além dos animes e mangás tenho vários hobbies como fotografia, escrever e games. PLUS ULTRA!

Deixar uma resposta