terça-feira, novembro 24

Análise – Tate no Yuusha no Nariagari – Episódio 07 – Limpando a bagunça dos outros

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Aqui estamos para mais uma análise semanal de Tate no Yuusha, esse anime que mal chegou e já considero pacas.

Limpando a bagunça dos outros heróis

O sétimo episódio de Tate no Yuusha continua seguindo Naofumi em sua aventura como mercador e ainda não vemos uma grande evolução na história. O Herói do Escudo continua upando suas habilidades e conhecimentos enquanto temos uma ótima evolução nas relações entre membros da party. Nesse ponto o anime me lembra muito Final Fantasy XV, com essa preocupação em desenvolver os personagens secundários, onde vamos criando carinho por eles tanto quanto pelo personagem principal.

Logo no inicio do episódio vemos que Naofumi tem uma nova quest, incumbida pelo mercador sênior que conhecemos no episódio anterior. Nosso herói precisa levar herbicidas para uma vila e descobrimos no momento da chegada no vilarejo que a mesma está sendo atacada por plantas parasitas.

Ao chegar ao vilarejo, Naofumi já se deparada com gritos desesperados e precisa salvar os aventureiros que tentavam combater as plantas parasitas. O chef da vila, ao perceber que se tratava do Salvador do Deus Pássaro, famoso por ser um andarilho poderoso que salva as pessoas com remédios milagroso, pede ao Herói para curar os habitantes da vila que estavam sendo mortos pelas plantas parasitas.

O esperado acontece!

Descobrimos então que a vila estava passando por esses problemas por conta das ações do Herói da Lança. O vilarejo estava sendo assolado pela fome e Motoyasu traz “sementes milagrosas” para salva-los desse mal. Apesar de dar muitos frutos no inicio logo a planta cresce, domina a área e começa a assombrar os cidadãos. Novamente temos o Herói da lança como o vilão do episódio e sinceramente acho que já está ficando repetitivo, Tate no Yuusha traz um mundo tão grande e tantos mistérios, esperamos que outras tramas sejam desenvolvidas.

Os eternos vilões?

Naofumi então decide ajudar a libertar o vilarejo das plantas assassinas e curar as pessoas que estavam tomadas pelos parasitas, porém não de graça – adoro esse lado do protagonista de sempre agir conforme suas convicções, porém tirando proveito de cada situação. Nesse momento o chef da vila descobre que na verdade o o Salvador do Deus Pássaro é na verdade o Herói do Escudo, essa dinâmica onde temos o herói caído ajudando os necessitados são uns dos motivos do anime ainda conseguir segurar o público. É interessante também ver as pessoas não estão com aquele preconceito do boato que temos no inicio da história, apesar de ser bem previsível o seguimento da história.

Nossa party segue estão para derrotar o boss desse episódio, uma planta gigante que se encontra no meio da vila. Vemos que agora nosso grupo está mais poderoso do que nunca, apesar da sinergia entre Raphtalia e Filo estar um pouco estremecida. Naofumi utiliza suas capacidades analíticas e percebe que a planta é fraca perante suas habilidades de melhoria de poção e consegue derrotar o inimigo com um único movimento.

Solta o monstro!

Após essa breve cena de ação Naofumi adquiri uma nova habilidade: Escudo da Bio-planta, que aparentemente pode modificar plantas. E também conseguimos perceber que o ciume entre os membros femininos da party está começando a ficar mais forte, apesar do nosso protagonista ainda tratar suas companheiras como filhas, podemos notar que Raphtalia começa a nutrir sentimentos amorosos por seu mestre e Filo ainda o trata muito mais com seu pai criando essa situação de disputa entre as duas.

Essa quest termina então com Naofumi salvando a vila dos problemas causados por Motoyasu e agora com sua nova habilidade de modificação de plantas ele consegue ajudar o vilarejo também com seus problemas de fome, alterando a planta parasita para uma que gera frutas bem mais rápido que o normal. O herói do Escudo então solicita seu pagamento que acaba por ser as frutas e sementes da planta parasita e voltamos ao mercador sênior…

Vamos a parte B do episódio!

Raphtalia e Filo

Incumbido de mais uma missão dada pelo mercador sênior, Naofumi então segue para uma cidade de termas para entregar alguns produtos.

Essa segunda parte do episódio serve para, mais uma vez, desenvolver o relacionamento entre os membros da party. Após completar a missão Naofumi decide ficar na cidade para aproveitar as termas – agora só falta o episódio da praia.

Mais clichês, por favor!

Vemos que os sentimentos amorosos de Raphtalia por Naofumi está cada vez maior, o que eu particularmente não gosto muito, sou um grande fã de animes de romance, porém acho que nesse caso seria um pouco forçado. Podemos perceber que esse ciumes entre ela e Filo começa afetar o relacionamento das duas, que começa a ficar mais aparente por parte da demi-humana.

Impulsionada pelos seus sentimentos, Raphtalia decide buscar um presente para dar à Naofumi, pois segundo sua falecida mãe essa seria a melhor forma de ganhar a tenção de quem gosta. Nossa demi-humana sai então para uma aventura solo na procura de latium, um metal precioso que segundo a lenda local é ótimo para simpatias de amor. Esse metal seria encontrado no ninho de um passa-o chamado gagocco, que coleta essa substância.

Não demora muito para Filo se juntar a essa aventura noturna. A Filolial, guiada pelos mesmos pensamentos de Raphtalia, decide ir atrás dos ovos do gagocco, que segundo as lendas eram raros e deliciosos, também para presentear Naofumi. Está criada mais uma disputa entre as duas, ambas atrás do mesmo pássaro com o mesmo objetivo, conquistar nosso protagonista. Adoro um bom clichê, alias haha.

Harém não!

Logo as duas se deparam com um obstaculo: um javali enorme começa a perseguir as suas e ambas precisam unir forças para conseguir atingir seus objetivos. É legal ver a amizade das duas crescendo nesse episódio e como disse não desgosto desse desenvolvimento de personagens, pois nos faz gostar e querer acompanhar a aventura deles.

Após passar por diversos problemas, Raphtalia e Filo conseguem chegar ao ninho do gagocco, mas por puro infortúnio, o javali gigante o destrói, quebrando seus ovos e jogando o latium para longe. Furiosas ambas se unem para acabar com o Javali gigante, que sinceramente não serviu nem pro cheiro.

Ambas voltam à a vila sem conseguir atingir seus objetivos, mas levando a carne do javali com elas. No vilarejo elas descobrem que o animal na verdade era um Javali de Prata, utilizado em rituais da vila. Raphtalia e Filo então o vendem para os moradores e conseguem um dinheiro muito bom para comprar um presente a Naofumi.

Acho lindo haha

Novamente não vemos um grande desenrolar na história, porém após esses dois episódios de passagem esperamos ver uma ação maior no próximo episódio…

O prólogo

Após a ending temos um prólogo do episódio 08, onde é dito que está havendo uma epidemia ao Leste e os remédios estão vendendo como água e como um mercador Naofumi não poderia perder essa chance.

Vemos também que essa epidemia, muito provavelmente, está sendo causada pelo corpo morto de um dragão, que coincidentemente, no episódio anterior, é dito que o Herói da Espada estava lutando com esse tipo de inimigo.

Só faz merda, hein!

Provavelmente, teremos Naofumi limpando a bagunça de outro herói, o que seria uma repetição de roteiro, mas desde de que seja uma boa aventura, que mal tem, não é mesmo?

Agora deixa eu ir jogar FF XV, que bateu uma saudade.

Compartilhe:

Sobre o autor

22 anos, formado em Propaganda e Marketing. Assistente de Conta em uma Agência de Publicidade. São Paulo - SP. Apreciador da cultura nipônica, além dos animes e mangás tenho vários hobbies como fotografia, escrever e games. PLUS ULTRA!

Deixar uma resposta